Tuesday, January 30, 2007

Voltei sem relíquia, sem saudade
Sem vestígio de vontade
Voltei porque cansei de ir
E de tanto ir cheguei a algum lugar
A vida é um manifesto
Que passa tal a ventania canta
Sem mestre e sem maestro
Tão lento eu me arrasto
Na ilusão de ter um colo, uma melodia
Na confusão de ser um cego, sem guia
Um caminho perdido...
Sou o único achado da minha vida...



K.P

1 comment:

Lucélia said...

Eu sinto a mesma coisa.