Thursday, January 01, 2009

Você não sabe, nem eu vou dizer.
Que neste exato momento a sua foto me fere o peito
Meu coração não é lamento, é só aperto
Chegará o momento em que jorrará de mim o efeito
Do amor que se criou por dentro
E não é defeito, e não é fim
É apenas assim, silêncio e o som do vão
Quantas fotos suas irão se passar por consolo
Meu pensamento pesa no travesseiro
E meu corpo adormece quase vivo
Estou mentindo pra mim mesma
Que ultimamente eu tenho tido um pouco de ti
Te tocar sem dedos, te sentir sem pele
Te ver em linhas de cores
Não é suficiente pra mim
Não faz sentido buscar no real
O que não se pode ter
Não faz sentido buscar no papel
A estória que não vou escrever
Nem sobre mim, nem sobre você
Mas quer saber
O teu sorriso continua lindo
E quando você olha de lado
Fico sem graça
Eu renasço como se fosse pra mim
Aquele sorriso bobo
E como se nas suas fotos
Morasse o motivo de eu continuar
Prometendo a mim um dia te ter
Mas você não sabe
E nem eu vou dizer


Kate Polladsky

2 comments:

Joaquim said...

ain, que lindo. te amo

Carla P.S. said...

Amor platônico?
Pode dar em algo, só o falo assim porque você deseja as fotos por enquanto. E perdoe-me a indiscrição.
Disso entendo, de paixões assim. Amores estarrecedores.
Não mais, digo a mim mesma.
Será?
Ninguém tá livre de pimentas.
Aceite um café,
com chocolate. Melhor né, mais doce.Que elas, as pimentas. ;)