Thursday, February 26, 2009

Eu te quero. E isso é sempre um recomeço. Não importa em que era glacial do amor eu adormeça, eventualmente te quero de novo e me aqueço. Sei que me aborreço, me desmereço, reflito e me culpo. Então desisto de tudo que sinto, como se disso tivesse controle. Tento errar as suas fotos, a sua voz, os seus momentos. Não é algo que se diga suportável, vivo tentando fazer com que você se mude de mim -mas o problema sou eu que te tenho como endereço. E como se eu sempre soubesse o que fazer decido sobre o seu destino em mim. Por ser assim, tão impossível, calado e tomado pra si é que nasce um fim. Pensar em você é sempre mais do que posso ter; é mais pesado, mais distante, mais lúdico e cansativo do que qualquer rotina pode oferecer. Não sei bem como retroceder. Adaptar-me de novo a mim, e não à você. Em algum ponto em meio a isso tudo eu me despeço. Mas por enquanto é tudo o que tenho: eu te quero. E isso é sempre um recomeço.
Kate Polladsky

1 comment:

Margarete said...

Vejo que vc é uma guerreira, enfrenta os fatos com muita clareza e garra. "A pior Batalha é quando se tem envolvido um Sentimento!"
bj