Monday, August 10, 2009

Alguém em quem ela confiava muito a traiu. Pela moral, pela amizade, pelos segredos, pelas vontades, pelas vezes, pela voz. Mas foi pelas mentiras que a traiu. Pelo excesso de verdade inventada. Pelos detalhes dispensáveis. E agora o que fazer? Tornou-se descrente então discretamente se afasta. Ganhou uma aposta que fez consigo mesma. E agora os fatos se desenrolam pelas suas costas; mas por dentro ela ri. Como poderia alguém pensar que chegaria longe caminhando com as pernas curtas da mentira? Que decepção. Quem nem surpresa é. [KP]

1 comment:

noelle said...

alguém que a traiu pelas vezes. e essas pernas curtas da mentiras, a correr - tenho endendido essa metáfora da corrida ultimamente.

quanto ao meu blog, voltei a postar, estava sem computador. tive férias do mundo virtual, uma pena. mas estou de volta.

agradeço imensamente pelo selo, que gesto! colocarei :)

beijos.